Do quadro de giz à lousa digital/Profª. Sheyla Costa Rodrigues/CNPq

O projeto se propõe a investigar o potencial pedagógico da lousa digital como um artefato tecnológico disponível nos espaços de sala de aula. Os estudos são realizados por meio de acompanhamento do trabalho de professores das redes de ensino que utilizam a lousa digital como ferramenta pedagógica no desenvolvimento de suas atividades de sala de aula. O acompanhamento é feito mediante o registro das observações em um diário de aula. Para a análise dos dados utilizamos a Análise de Conteúdo por entendermos que esta pode ultrapassar as incertezas e enriquecer a leitura dos dados coletados, bem como compreender o sentido das comunicações, seu conteúdo manifesto ou latente, as significações explícitas ou implícitas.

 

 


 

FORMAÇÃO DE EDUCADORES EM UMA ECOLOGIA COGNITIVA DIGITAL: investigando experiências coletivas na produção de material pedagógico/Profª Débora Pereira Laurino/CNPq

Acreditamos que as tecnologias digitais podem proporcionar aos professores e aos estudantes formas diferenciadas de organizar o ambiente educativo tanto presencial como a distância. A interatividade ampliada pelas tecnologias digitais cada vez mais contribuem para a constituição de comunidades interessadas em discussões sobre os mais variados assuntos. Este avanço tecnológico exige, também, a constante atualização das informações que navegam nas redes e apropriação por parte dos estudantes e professores do uso dessa tecnologia. Essas tecnologias permitem a formação de uma rede de conhecimentos que se unem propiciando a expansão da criatividade e da imaginação. Emergem diferentes formas de agir diante do emocionar que afirma a participação ativa, cooperativa, integrada e coletiva de todos como integrantes da humanidade. Lidar com essa a diversidade de formas e com a rapidez que elas se atualizam na ecologia cognitiva digital é um desafio para nossa sociedade e particularmente para a educação. Nesse sentido, o grupo de pesquisa em Educação a Distância e Tecnologia vem realizando pesquisas sobre o imbricamento das tecnologias digitais e de metodologias em ambiente educativos, ambos estudos, embasados na Biologia do Conhecer, a fim de melhor compreender o fenômeno da educação. É compreendendo o espaço educacional como um espaço social que buscamos investigar as experiências coletivas na produção de material pedagógico em uma ecologia cognitiva digital, em que esse coletivo é formado por professores e estudantes. Assim, o principal problema a ser abordado baseia-se em compreender como se constituem as experiências coletivas de professores e estudantes na produção de material pedagógico digital e que produções são essas. Temos como objetivos centrais investigar os significados que enagem sobre e na criação e produção coletiva de materiais pedagógicos digitais e compreender que produções são consideradas pelo coletivo de professores e estudantes como material.

 


 

Ser professor na Educação a Distância: o dar-se conta de uma práxis pedagógica cooperativa/Profª. Tanise Paula Novello/CNPq

Compreendendo que a Educação a Distância (EaD), potencializada pela topologia de redes, estabelece processos interativos diferentes da práxis pedagógica até então vivida pelo professor,  esse projeto visa mapear as concepções dos professores sobre o entendimento de sua práxis pedagógica na EaD; analisar como o professor tem compartilhado sua autoria na educação a distância e compreender as articulações que são recorrentes e enatuadas nas relações estabelecidas entre os autores que atuam na EaD. Para analisar os fenômenos aqui investigados, ou seja, o dar-se conta de uma práxis pedagógica cooperativa no ser professor na Educação a Distância, este projeto baseia-se em metodologias de cunho qualitativo. O estudo aqui proposto tem como base os conceitos de cooperação e enação abordados por Maturana e Varela.

 


 

Investigações sobre a prática docente na Universidade e na Escola/Profª. Celiane Costa Machado e Profª. Elaine Corrêa Pereira/CNPq

Inúmeras mudanças têm ocorrido na sociedade referentes aos avanços tecnológicos, sendo estes voltados, especialmente para a educação, evidenciando, desta forma, a necessidade de buscar estratégias pedagógicas no sentido de proporcionar um ensino mais compromissado com o educando. Então, este projeto tem por finalidade investigar os processos de ensino e aprendizagem e desenvolver ações que contemplem a formação docente envolvendo a universidade e a escola, repercutindo na comunidade. Além disso, pretende-se fomentar espaços de formação docente, voltada para uma atualização constante, devido as mudanças e transformações as quais vem ocorrendo em todos os campos do saber. Espera-se com essa pesquisa ampliar o olhar investigativo e crítico de professores, de modo a propiciar ações pedagógicas inovadoras que atendam a demanda da sociedade contemporânea.

 


 

 

Tecnologias educativas digitais: repensando os espaços do ensinar e aprender/Profª. Suzi Samá Pinto

Os avanços das tecnologias digitais trazem para o ambiente educacional um leque de possibilidades, potencialidades e virtualidades, que podem vir a ser atualizadas a cada dia. O que exige análise, avaliação, problematização constantes da inserção destas tecnologias no processo de aprender e das diferentes formas de ensinar potencializadas por elas. Tais análises, avaliações e problematizações devem ter como foco a emergência de subsídios para mudanças e inovações necessárias à Educação. Nesta perspectiva, o presente projeto tem por objetivo analisar e avaliar a inserção das tecnologias digitais no processo de aprender e das diferentes formas de ensinar potencializadas por elas.